Associação Portuguesa dos Guias-Intérpretes e Correios de Turismo
Associação Portuguesa dos Guias-Intérpretes e Correios de Turismo

A bordo dos Yachts Reais Portugueses

Histórias de mesas
A bordo dos Yachts Reais Portugueses
Inscrições: Fechado
30 Outubro 2020
15h00
Online
Inscrições até: 29 Outubro 2020
Formador: Paulo Santos
Sócios AGIC: Grátis €
Estudantes: €
Guias-Intérpretes não sócios: 5,00 €

“Aspectos da vida a bordo e das mesas dos Yachts Reais Portugueses” (1878-1910)

O Rei Dom Luís I, e seu filho Dom Carlos de Bragança tiveram seguramente, entre outras multifacetadas paixões, o mar e a mesa. Os destinos marítimos dos dois “Reis Marinheiros” foram muito marcados.

Para dar azo ao seu grande afecto pelo Mar, a Família Real Portuguesa adquiriu, a partir do final da década de 1870, toda uma panóplia de navios de recreio. Eram navios modernos e denotados pela classe e elegância do seu serviço, do seu conforto e da vivência a bordo.

Foi a bordo dos seus navios, nomeadamente dos quatro últimos Yachts Reais “Amélia”, que o Rei Dom Carlos I conduziu a partir de 1896 as suas relevantes campanhas oceanográficas. Os navios serviam também para lazer (passeios e regatas), viagens da Família Real, mormente ao largo das costas de Portugal, mas também para a instrução dos Príncipes. Não pode, no entanto, ser menosprezado o importante papel desses navios na diplomacia naval e na representação de Portugal, na passagem do século XIX, para o século XX.

A vida a bordo dos Yachts Reais foi sem dúvida marcada pelo conforto e pela modernidade. Por exemplo, do ponto de vista do serviço e do ponto de vista gastronómico e culinário, as ementas dos Yachts Reais Portugueses constituem preciosas fontes documentais sobre os refinados hábitos alimentares de finais do Século XIX e sobre os modernos usos e costumes da Família de Bragança, relativamente à mesa e à vida quotidiana, pública e privada nos seus navios.

As colecções Museu de Marinha, do Arquivo Histórico da Marinha, do Museu do Mar Rei Dom Carlos I em Cascais e da Fundação Casa de Bragança (Palácio de Vila Viçosa) conservam documentos repletos de pormenores sobre os hábitos alimentares e do serviço a bordo dos Yachts Reais “Amélia” IV e “Amélia” V. Estas Instituições e vários colecionadores privados guardam nos seus espólios, belíssimos exemplares de ementas de bordo e de peças dos serviços de mesa e das baixelas dos navios. São documentos e objectos históricos que espelham a vivência a bordo e os hábitos em torno das mesas dos Yachts Reais Portugueses, em finais do século XIX, inícios do século XX, tradições e práticas de prestígio que marcam (ainda hoje) o serviço nas mesas da Armada.

Abordando este conjunto de temas fundamentados num capítulo do Livro” À Mesa com a Marinha. Tradição, Requinte e Modernidade” (a ser publicado em novembro de 2020), este Webinar ilustrado e pensado a partir de um PowerPoint, poderá vir ter alguma utilidade para perfazer o conhecimento de algumas peças do acervo do Museu de Marinha, nomeadamente que compõem a Sala das Camarinhas Reais (Yachts “Amelia”), e também certamente do Yacht Real “Sirius” em exposição no Pavilhão das Galeotas, magnifico navio histórico, hoje um pouco esquecido.

Formador/a

Paulo Santos

Paulo Santos. Formado em Ciências Políticas e Estudos Europeus pela Universidade de Genebra (Licenciatura em Ciências Políticas/SES; Mestrado em Estudos Europeu/IUEE Genève; Mestrado em Sociologia e Ordenamento do Território/Ecole d´Architecture de l´Université de Geneve). Foi durante 20 anos consultor nas áreas da Política Regional e dos Fundos Estruturais da União Europeia, em Bruxelas e em Lisboa. Exerce a Profissão de Guia-Intérprete Nacional, desde 2015, com uma pós-Graduação do INP.

Desde 2004, tem se dedicado ao estudo da iconografia, pintura, simbologia história e tradição naval em Portugal. É autor de uma monografia sobre um o Pintor de Marinha Português do século XIX:  João Pedroso Gomes de Silva (1825-1890). Publicou vários livros sobre temas navais com os seguintes títulos: “Espadas e Sabres de Marinha Portuguesa”; “O Botão de Ancora da Marinha Portuguesa “e dois volumes dedicados “À Mesa com a Marinha”, “Espadas, Sabres, Adagas e Talins da Marinha Portuguesa”. É colaborador da Revista da Armada e da Revista de Marinha, com cerca de 18 artigos publicados em Portugal e em França.

É Membro Efetivo da Academia de Marinha, na qual ocupa atualmente o cargo de Vice-secretário da Classe de Artes, Letras e Ciências. É membro da ICOMOS Portugal, Membro Fundador do Rotary Club Lisboa Internacional Francófono e Sócio da AGIC.

Condições de participação

 

a) As actividades estão abertas à participação de guias-intérpretes e correios de turismo, sócios da AGIC e outros que possuem o mesmo grau de formação exigido aos sócios desta associação;

b) As actividades estão abertas também a estudantes dos Cursos de Turismo reconhecidos pela AGIC, com uma redução de 50% sobre o preço geral (não-sócios);

c) A inscrição deverá ser feita online e o pagamento deverá ser feito depois que a AGIC tenha confirmado a inscrição, exclusivamente por transferência bancária para o IBAN PT50 0010 00003381169000190;

d) Prazo limite de inscrições e respectivo pagamento: até 1 semana antes da realização da actividade;

e) Em caso de cancelamento por parte do guia não há lugar a devoluções. O valor já pago poderá transitar para outra actividade com custo igual, ou para benefício do próprio ou para benefício de outro guia-intérprete ou correio de turismo;

f) Em caso de cancelamento por parte da AGIC (que ocorra mormente devido à falta de inscrições) o valor já pago poderá transitar para outra actividade com custo igual, ou para benefício do próprio ou para benefício de outro guia-intérprete ou correio de turismo, ou pode ainda ser alvo de análise, caso a caso, por exemplo, no caso de ser a última actividade da época 2020/2021.

Antes de se inscrever, tenha em atenção se as inscrições estão abertas.

Inscrições: Fechado
× Talk to us