AGIC

Associação Portuguesa dos Guias-Intérpretes e Correios de Turismo 

Associação Portuguesa dos Guias-Intérpretes e Correios de Turismo 

Casas-Museu de Portugal: História e Colecções

A Associação Portuguesa de Casas-Museu (APCM) tem na sua missão reunir esforços para assegurar mais visibilidade e representação a nível nacional e internacional das Casas-Museu. Comunicar Património é uma das funções da Associação Portuguesa dos Guias-Intérpretes e Correios de Turismo (AGIC). A APCM partilhando a sua experiência é também um agente cultural aproximando os guias interpretes e correios de turismo da sua história e tornando-as veículos de cultura.

É assim com todo o gosto que coorganizamos este ciclo de conferências considerando que as Casas-Museu são um vasto património que contribui para a história de um País.

Sessões

1ª sessão – 29 de janeiro: 16h-17h

Conferência de abertura: Luísa Garcia Fernandes, ADMAS/APCM 76 anos da ADMAS a gerir a Casa-Museu Abel Salazar – S. Mamede Infesta

2ª sessão – 5 de fevereiro: 16h-18h

  1. Museu Casa das Imagens (Fundação Manuel Leão): Vila Nova de Gaia Apresentação: Drª Inês Azevedo e Drª Joana Mateus
  2. Casa do Moscadim: Chamusca Apresentação: Dr. Joel Moedas Miguel

3ª sessão – 19 de fevereiro: 16h-18h

  1. Casa-Museu Egas Moniz: Avanca Apresentação: Drª Rosa Maria Rodrigues
  2. A Casa dos Campos, o Museu e Júlio Dinis em Ovar Apresentação: Ana Maria Teixeira Soares Ferreira

4ª sessão – 26 de fevereiro: 16h-18h

  1. Casa-Museu Fernando Namora: Condeixa-a-Nova Apresentação: Drª Vanessa Martins
  2. Museu do Porto – Casa Marta Ortigão Sampaio: Porto Apresentação: Dr. Jorge Sobrado

5ª sessão – 4 de março: 16h-18h

  1. Museu do Porto – Museu Guerra Junqueiro: Porto Apresentação: Dr. Jorge Sobrado
  2. Museu do Porto- Ateliê António Carneiro: Porto Apresentação: Dr. Jorge Sobrado

6ª sessão – 11 de março: 16h-18h

  1. Casa-Museu Bissaya Barreto: Coimbra Apresentação: Drª Marta Gama
  2. Uma Ca(u)sa para a Infância. A função museológica e a missão assistencial da Casa-Museu Elysio de Moura Apresentação: Dr. Milton Pacheco

Coordenação Científica:

Luísa Garcia Fernandes (Associação Portuguesa de Casas-Museu)

Paulo Batista (CIDEHUS.UE – Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da Universidade de Évora)

Sílvia Ferreira (IHA – NOVA FCSH / IN2PAST) 

Organização:

Data do Início: 29 de Janeiro 2024
Fim da Formação: 11 Março 2024
Nº de Sessões: 6 Sessões
Data das Sessões: 29 Janeiro - 5 Fevereiro - 19 Fevereiro - 26 Fevereiro - 4 Março - 11 Março
Horários: 16h-18h
Local: Zoom
Formato: Online
DATA LIMITE PARA INSCRIÇÃO: 22 Janeiro 2024
Preço Sócio AGIC: 14€ / Módulo - 70€/ Curso €
Preço PIT não Sócio: 18€/ Módulo - 90€/ Curso €
Preço estudantes: 9€ / Módulo - 45€ / Curso €
Observações: Esta formação está também aberta a professores e estudantes do curso de Museologia, €16,00/sessão para estudantes de Museologia das universidades co-organizadoras, €20,00 para os professores, €80,00/curso para estudantes de Museologia das universidades co-organizadoras, €100,00 para os professores. Inscrições a partir de dia 16/01 até 22/01, sujeitas às vagas limitadas, exclusivamente por e-mail para cultura@agicportugal.com

Inscrição

Formador/a:

Maria Luísa Garcia Fernandes é licenciada em História, Variante Arte, via científica e Pós-Graduada em Museologia, pela FLUP. Diretora da Casa-Museu Abel Salazar desde 1996 a 2021, Técnica Superior da Reitoria de 2003 até 2021¸atualmente da direção da Associação Divulgadora da Casa-Museu Abel Salazar, onde foi conservadora desde 1992 e diretora desde 1996. Foi Assessora da Área da Cultura da Câmara Municipal de Matosinhos de 1996 a 2001.
Professora do Ensino Técnico Profissional, na Academia Contemporânea de Espetáculo, de 1993 a 1997. Professora Convidada da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto de 2000 a 2004, a lecionar a cadeira de Património, do curso de Gestão do Património. Foi Presidente da Associação Portuguesa de Historiadores da Arte, tendo sido Presidente nos biénios de 1999 a 2004. E Presidente da Mesa da Assembleia Geral de 2005 a 2009. Da Comissão Instaladora da Associação Portuguesa de Casas-Museu desde 2012 e Presidente de 2019 até à data. Pertence à Associação Cultural “Os Filhos de Lumiére”, membro da direção 2002/2014 e do Conselho Fiscal 2014 /2023 Membro do Conselho Geral da Escola Secundária Abel Salazar de 2009 a 2021.

Inês Azevedo. Trabalha desde 2000 em arte e mediação, tendo colaborado e orientado diversos projetos e actividades com instituições culturais e escolares de âmbito nacional e internacional. Co-coordena a Casa da Imagem, da Fundação Manuel Leão, e o seu Museu Casa das Imagens. Licenciada em Artes Plásticas-Escultura (FBAUP), com Mestrado em Práticas Artísticas Contemporâneas (FBAUP), e Mestrado em Ensino de Artes Visuais (FPCEUP e FBAUP). Frequenta o Doutoramento em Estudos do Património – Museologia, onde investiga sobre museus, ética e justiça social, com enfoque na articulação entre as narrativas museológicas, a criação e a mediação artística. É investigadora do CEAA, ESAP-Porto e colaboradora do CITCEM, FLUP. inesazevedo@casa.fmleao.pt

Joana Mateus. Artista, mediadora e co-coordenadora da Casa da Imagem e do seu Museu, trabalha nos campos de cruzamento das artes e do multimédia. Licenciatura em Artes Plásticas, MA Arte Multimédia, FBAUP. MA Ensino de Artes Visuais, FPCEUP/FBAUP. Tem concebido diversos projetos de mediação artística com públicos diversificados, de escolas e outras instituições, e projetos europeus orientados para as literacias visual e digital, direitos humanos e cidadania. Investigadora do CEAA-ESAP. Entre outras exposições, em 2015-2016, coorganizou e concebeu a exposição Arquitetura Moderna no Arquivo Teófilo Rego (Gaia, Porto, Guimarães) e, em 2023, a exposição Foto-Comercial Teófilo Rego em Ovar. Colabora no Projeto O Douro dos Fotógrafos, financiado pelo Apoio aos Agentes Culturais 2022 da DRCN e pelo CEAA.

Joel Moedas-Miguel nasceu em 1984 em Lisboa. Desde cedo nutriu uma enorme paixão por história, arte e património, fazendo com que em 2002, com 18 anos, entrasse no curso de História da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas de Universidade Nova de Lisboa. Terminada a licenciatura (pré-bolonha) ingressa em 2008 no Mestrado em Património Histórico dirigido pelo Professor António Camões Gouveia. Por questões familiares abraça nesse ano um projeto de Agricultura Biológica realizando paralelamente alguns projetos de turismo cultural ligado ao desenvolvimento de rotas de igrejas em Lisboa e na organização e realização de visitas guiadas ao Palácio do Correio-mor em Loures. Em 2012 envolve-se mais profundamente no turismo cultural levando a viajar por todo o país e pelo mundo, visitando em 3 anos mais de 200 museus, palácios e monumentos históricos. Entre 2015 e 2018 cria por conta própria projetos de cariz turístico-cultural, onde desenvolve várias visitas e viagem culturais, sempre com o objeto temático do património histórico e cultural, como rotas de palácios, castelos, museus, em Portugal e no Estrangeiro, através da marca Atlante – Tours and Travels. Mas é em 2018 que lança o projecto que tanto acalentava há 10 anos: a PATRIMONIUM – Gestão e Promoção de Bens Culturais. Com ela prestou vários serviços a museus e monumentos da rede DGPC e desenvolveu vários projetos com entidades publicas e privadas como municípios e instituições como a Embaixada de França em Portugal. Neste âmbito desenvolveu, por exemplo, a Rota das Igrejas e a Rota do Azulejo para a Câmara Municipal da Chamusca, 9 rotas patrimoniais para a Camara Municipal de Santarém, musealizou o Palácio Ficalho em Serpa, e abriu ao publico o Palácio de Santos, Embaixada de França em Portugal, para visitas semanais. Nesse mesmo ano colaborou com a RTP1 na realização de várias reportagens/visitas guiadas ao património histórico menos conhecido da grande Lisboa como o Palácio de Xabregas, Quinta da Francelha, Igreja da Oliveirinha, Palácio do Correio-mor em Loures, entre outros. Em 2022 a PATRIMONIUM tornou-se responsável pelo projeto patrimonial “Casa do Moscadim”. Uma casa senhorial do séc. XVIII, localizada na Chamusca, e que estava ao “abandono”. Este projeto, além de ter resgatado a casa da destruição, por ação dos elementos ou do Homem, permite que a mesma seja visitada, estudada e reabilitada, num conceito de Laboratório museológico e patrimonial, em que os vários saberes destas áreas dialogam com o fim último de dar uma nova vida a este património de valor único. Neste mesmo ano Joel Moedas-Miguel foi convidado para integrar a direção da Fundação das Casas de Fronteira e Alorna, gestora do Palácio Fronteira em Benfica, como Vice-Presidente do Conselho executivo.

Rosa Maria Rodrigues Licenciada em História, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Diretora da Casa Museu Egas Moniz. A sua investigação principal centra-se no estudo da vida e obra de Egas Moniz, tendo colaborado em vários estudos, exposições e ciclos de conferências dentro do âmbito da temática Moniziana. Autora de artigos e publicações onde se destaca a obra Retrato de Egas Moniz.

Ana Maria Teixeira Soares Ferreira Licenciada em Ensino de Português e Inglês pela Universidade de Aveiro, é docente e adjunta da Direção do Agrupamento de Escolas de Ovar Sul. Mestre em Literatura Portuguesa pela FLUC, com uma tese sobre a poesia de Alexandre O'Neill, e doutorada em Literatura pela UA, com uma dissertação sobre as representações da morte em Mia Couto. Desde 1992, tem lecionado Português, Literatura Portuguesa, Cultura Portuguesa e Língua Portuguesa nos ensinos básico, secundário e superior. Tem vindo a participar em várias iniciativas culturais da Câmara Municipal de Ovar, destacando-se a colaboração com o Museu Júlio Dinis, com comunicações e artigos sobre Júlio Dinis e um texto crítico integrado na edição de 2021 de O Canto da Sereia. Em 2023, comissariou as comemorações dos 160 anos da passagem de Júlio Dinis por Ovar.

Vanessa Martins é Técnica Superior do Município de Condeixa-a-Nova, na Unidade de Gestão de Equipamentos Museológicos. Doutorada em Filosofia, mestre em Ensino da Filosofia no Ensino Secundário e também em Ética e Política e com licenciatura em Filosofia, a sua área de interesse filosófico conjugou-se sempre com a literatura, num enfoque ao existencialismo francês. Foi durante alguns anos professora e facilitadora de Filosofia para Crianças. Tem algumas obras publicadas, sobretudo literatura infantil e contos, tendo ganho o Prémio Literário Branquinho da Fonseca instituído pela Fundação Calouste Gulbenkian e pelo Jornal Expresso e o Prémio Fernanda Botelho, pela Câmara Municipal do Cadaval.

JORGE MIGUEL MELEIRO SOBRADO Licenciado em Ciências da Comunicação, é Diretor Municipal da Cultura da Câmara Municipal do Porto e professor em diversas instituições de Ensino Superior, no Porto e em Coimbra. Entre 2017 e 2021, foi Vereador da Cultura, Património, Turismo e Marketing Territorial do Município de Viseu, onde trabalhava desde 2013, como Adjunto do Presidente da Câmara. Aqui fundou o Museu de História da Cidade e o Polo Arqueológico de Viseu, assim como o programa de financiamento a projetos culturais independentes “Viseu Cultura”, entre outros. No mesmo período, foi diretor da associação VISEU MARCA e, desde 2016, Gestor da Feira de São Mateus. Em 2021 e 2022, foi dirigente da CCDR-NORTE, com as responsabilidades de Estratégia e Relações Institucionais, e de coordenação das estratégias regionais de Cultura e Turismo. Entre 2012 e 2013 foi assessor de dois membros do XIX Governo Constitucional e da presidente da Assembleia da República. Anteriormente, entre 2000 e 2011, foi diretor de comunicação da CCDR-NORTE e assessor de vários dos seus Presidentes.

Marta Gama. Licenciada em História, variante de História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, pós-graduada em arquivo pela mesma Universidade e mestre em Museologia pela Universidade de Évora. Com uma breve passagem pela docência, tem desenvolvido a sua actividade em diversas áreas do sector cultural. Ao longo deste percurso foi, entre outras, colaboradora do Inventário de Património Arquitectónico da DGEMN, Técnica Superior do Museu Nacional da Ciência, Técnica Superior do Arquivo da Universidade de Coimbra. Trabalha na Fundação Bissaya Barreto desde 2015, inicialmente desempenhando atividade no Centro de Documentação e, desde de 2017, como conservadora da Casa-Museu Bissaya Barreto.

Milton Pedro Dias Pacheco Licenciado e mestre em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, frequenta atualmente o programa de doutoramento na mesma instituição universitária. Integra como investigador integrado o CHAM - Centro de Humanidades da Universidade NOVA de Lisboa/ Universidade dos Açores e como assistente de investigação o Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos da Universidade de Coimbra. No decurso da investigação académica e das funções assumidas em várias instituições apresentou comunicações, palestras e conferências, publicadas em artigos e capítulos de livros, não só em Portugal, como também na Alemanha, Áustria, Brasil, Bélgica, Escócia, Espanha, França, Grécia, Inglaterra, Itália e Suécia. Após ter integrado o Departamento dos Bens Culturais da Diocese de Coimbra e o Gabinete de Candidatura à UNESCO da Reitoria da Universidade de Coimbra, assumiu funções na Casa da Infância Doutor Elysio de Moura com o propósito de musealizar a antiga residência do patrono, a Casa-Museu Elysio de Moura (inaugurada em junho de 2018) e o Colégio de Santo António da Pedreira

×

Hello!

Click one of our contacts below to chat on WhatsApp

× Talk to us